Leva-me contigo

Talvez me recorde demasiadas vezes do início. Dos sonhos que criamos na nossa mente, da vida que planeamos em conjunto, das promessas que ficaram por cumprir. Ainda continuas no centro dos meus sonhos e custa-me ver que não faço parte dos teus, que por vezes nem sequer te lembras de que eu estou aqui, na tua vida... Disseste que me querias ao teu lado, que me querias a acompanhar-te e agora os momentos de que falámos vão surgindo e nem sequer consideras a minha presença contigo, neles. Faço parte de ti não fazendo. Não sei onde me encaixo em ti, no teu mundo, não me sinto parte dele; é como se o "nós" existisse numa dimensão paralela que não permite interacções com o real. Às vezes cria-se a ilusão de que as paredes se derrubam, levas daqui pedaços meus e acabas por mostrá-los, mas logo percebo que os pequenos passos que vou dando parecem não me levar a lado nenhum, pareço não sair do mesmo lugar. Há muito que me perdi no caminho, já fugi e já voltei por não saber ficar longe, deixei de ter força para tomar decisões, no que a ti respeita, deixei de confiar em mim, agora cabe-te a ti agarrar-me ou deixar-me ir.

3 comentários: