(sem) Força

Nunca serei a mulher que precisa de um homem que a proteja porque sou daquelas que se atira para a frente da bala se preciso for, que corre riscos sem sequer se aperceber, que enfrenta o perigo quando todos os outros recuam por medo. Não sou corajosa, só não sinto o medo, o perigo e gosto da adrenalina. Mas também preciso de segurança, preciso de sentir que tenho liberdade para ser eu própria, preciso de sentir que posso ser quem te prometi, ser a mulher que sabes estar escondida aqui dentro, preciso de sentir que me queres ver, percebes? Porque se me confundes ainda mais, se rejeitas os meus avanços, vou começar a recuar, a só avançar quando insistes.

Estás a perder a melhor parte de mim.

Sem comentários:

Enviar um comentário