Confia

Negas que um dia te tive, que o teu coração foi outrora meu. Deste-mo lembras-te? Disseste para cuidar bem dele e eu cuidei, mesmo quando percebi que já mo tinhas retirado e substituído por uma qualquer réplica barata. Continuo a cuidar dele, continua guardado, sem nenhuma mancha, sem nenhuma cicatriz, enquanto o verdadeiro se vai deteriorando dentro de ti, porque não és capaz de mo confiar.
Não és capaz de confiar.
Perceberás tarde demais que me pertences. Terás ainda coração para me entregar, ou apenas pedaços à espera de alguém com paciência para os encaixar, para te tornar inteiro novamente?
Sabes, não sou nada paciente.

1 comentário:

  1. Adoro o que aqui dizes.
    R: E mesmo que não resulte, há que tentar de novo. Ou a vida, passará por cima de nós.

    ResponderEliminar