Sentimentos

Os melhores sentimentos são os que não sabemos colocar em palavras, são os que não conseguimos transcrever num texto cuja ligação entre as palavras faça perfeito sentido. Os melhores sentimentos são os que não sabemos explicar, os que demoramos para reconhecer. São os que não conseguimos compreender, os que nos deixam confusos, os que nos deixam felizes sem razão. Os melhores sentimentos são os que nos causam insónias, os que deixamos transparecer através daquele sorriso aberto que não conseguimos arrancar do rosto. São os que nos fazem reviver nas nossas mentes vezes sem conta os momentos que tivemos (e os que imaginamos um dia ter). Os melhores sentimentos são os que nos permitem sonhar e os que nos instigam a lutar para transformar esses sonhos em realidade. Somos mais fortes porque sentimos.

Cansaço

Estou a ficar cansada, desiludida e cansada. Hoje nota-se nos meus olhos, amanhã talvez se note na alma. Estou cansada de tentar, de dar tudo e não receber nada. Estou cansada de não ser compreendida, valorizada. Devia ser mais fácil, tão mais fácil...

Despedida

Mil vezes ensaiei na minha mente a nossa despedida. Repassei o diálogo, frase por frase, até perder o sentido das palavras. Obriguei-me a associar a tua voz ao texto que criei, obriguei-me a admitir o pior cenário, a "ouvir de ti" palavras de indiferença. Gastei todas as lágrimas nestes pedaços de imaginação, para que nem uma lágrima restasse quando a despedida fosse real. Planeei toda a sequência de movimentos para que as forças não me faltassem. Tentei não deixar ao acaso nenhum dos pormenores, mentalizei-me de que não tinha alternativa. Tinha a minha decisão tomada. Iria despedir-me de ti, de uma parte de nós que tinha decidido deixar no passado e havia tanto, mas tanto que te queria dizer... todos os sentimentos que tinha entalados dentro de mim, toda a mágoa que sempre quis rejeitar, todas as vezes que me fizeste chorar. Tinha tudo planeado. Perfeito, sem falhas, sem poder voltar atrás.
Quando te vi, quando finalmente te tive à minha frente, esqueci-me de tudo. Esqueci as frases e as palavras, esqueci o que tinha planeado, fiquei sem saber o que queria. É fácil quando estás longe, é fácil dizer que não quero, convencer-me de que não sinto. Quando te tenho comigo, não sei disfarçar o tudo que me és. Já notaste o sorriso que deixo escapar quando te vejo? (eu que odeio o meu sorriso). Notaste como os meus olhos brilham quando estás aqui? (talvez não o saibas porque nunca me viste sem esse brilho no olhar).
Houve uma despedida, uma de muitas, mas não a que tinha planeado, não a definitiva. E doeu, mais do que todas as outras vezes. Não deixei que visses, mas as lágrimas caíram mal me deixaste e simplesmente não pude deixar que aquela fosse a despedida.
Dói tanto quando não estás, não tens noção das saudades que me deixas...

1 ano

O meu blog faz hoje 1 ano. Apesar de ter começado com outro endereço, o blog, na sua essência, é o mesmo, foi 1 ano de escrita sem interrupções (não postar durante um dia ou dois não conta :p ).
Posso dizer com total certeza que ter criado o blog mudou a minha vida, as razões guardo-as comigo.

Parabéns a mim :)

Amor amigo

Demasiado real para não publicar (não sei se é o original, se foi adaptado... sei que encontrei algures na internet e é perfeito).

"Quero ser o teu amor amigo. Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amor amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias..."

Fernando Pessoa

Conversas

Há pessoas que nos prendem em conversas, conversas que se arrastam pela madrugada e que nos "roubam" horas de sono. Há pessoas capazes de transformar conversas banais, de lhes dar significado. Há pessoas que todos os dias conseguem ter algo para nos dizer, algo para contar. Há pessoas com as quais conseguimos ter conversas sobre tudo e conversas sobre nada. Há pessoas que realmente nos ouvem, que se interessam, sem fingimentos desnecessários. Há aquela pessoa a quem corremos para contar o que de bom ou mau se passou, ou apenas para esquecermos a vida com uma boa dose de conversa.
Tenho saudades de passar as noites acordada, não importa as horas de sono que perdi.

Chuva

Quando hoje saí à rua e senti gotas de chuva a cair-me no rosto tive o prazer de confirmar que a vida é mesmo irónica e tem um sentido de humor fantástico. Não pude deixar de me rir. Agora falta a segunda parte... Obrigada pelo sinal ;)

(Esqueçam, não é para perceber...)

Quando?

Quantos caminhos irei cruzar até chegar ao teu? Quantos pessoas ainda irei conhecer até me perder no teu olhar, no teu sorriso? Quantas palavras doces me encherão os ouvidos até que a tua voz me preencha o coração? Quantas mãos percorrerão o meu corpo até que possa sentir as tuas, até que possa provar o sabor dos teus lábios?
Quantas mais vezes terei que me dar até que tudo faça sentido?

Futuro

Devia dizer tudo o que sei, tudo o que (pres)sinto, tudo o que vejo... não, não queiram saber, somos mais felizes na ignorância, na ilusão. Ainda que a tentação de saber o que o futuro tem guardado para nós seja muita, não imaginam o quanto é bom nada saber..

De uma amizade perdida take #2

Ontem à noite enviei um e-mail a alguém com quem não falo há muito tempo. Sei que ele o abriu 3 vezes (maravilhas das novas tecnologias), o que se torna completamente desnecessário visto que o e-mail em questão contém apenas uma pequena linha de texto, pelo que não necessita de ser aberto para se ler o seu conteúdo. Pergunto-me se o destinatário não está a acreditar que lhe enviei um e-mail, se não sabe se me há-de responder, ou se não sabe o que responder... o orgulho é tramado!

Da idade

A única coisa que realmente queremos é sentir-nos amados.

Isto hoje tirou-me o sono, pela primeira vez estou a pensar a sério neste assunto, pela primeira vez sinto falta de me sentir amada. Olhando para trás chego à conclusão de que até hoje o que tive foram meras ilusões, pessoas que desistiram de mim ao primeiro obstáculo, pessoas que não foram capazes de me ver como realmente sou, pessoas que se ativeram ao aspecto físico e não perceberam que num rosto de criança está um corpo e alma de mulher.
"Falas como se fosses mais velha", "parece que já viveste tanto", "és tão nova e já sabes tanto", "não tens 35 anos, só se for de maturidade" - ouço estas frases desde os 16 anos, e não, não vivi muito, não sei muito, não cresci assim tanto, apenas me esforço por compreender, por ver, por querer saber mais e a verdade é que consigo. Vou ter sempre os meus momentos de "típica adolescente apaixonada" mesmo já não o sendo, vou ter sempre os meus momentos de "criança", os meus momentos de "miúda que precisa de atenção", mas não é isso que me define. Vão continuar a dizer que tenho 16 anos sempre que for a uma consulta no centro de saúde, vão continuar a ficar impressionados quando disser que já tenho um mestrado, um emprego e que estou a conseguir conquistar o meu lugar no mundo ("mas és tão nova"), se vocês me conhecessem pessoalmente diriam "pela tua escrita pareces mais velha" e acreditem que no último ano a qualidade da escrita tem decaído exponencialmente.
O meu problema vai continuar a ser as pessoas verem uma miúda e esquecerem-se de que existe uma mulher e se é fácil contornar isso? Sim é, é colocar um vestido, saltos altos e caprichar na maquilhagem, simplesmente continuo a insistir para que me vejam como realmente sou e, esporadicamente, torno-me essa mulher e só quem provar que me merece verá a pessoa em que me posso tornar, mas para isso também preciso de segurança, preciso de me sentir amada, preciso de saber que posso cometer pequenos erros sem que a outra pessoa me julgue, sem que desista de mim, porque só se tiver liberdade para tentar me posso tornar mais e melhor.
Às vezes também queria poder ignorar os sentimentos e dar-me sem receios. Se tantas vezes lutei para ser feita de sentimentos fortes, neste momento queria não sentir nada, começar do zero e ir sentindo aos poucos, devagar, porque assim é mais fácil, mais simples, menos doloroso.
Pergunto-me se um dia vou encontrar alguém com quem partilhar a vida, alguém que me ame, alguém que me veja a alma, começo mesmo a duvidar de que isso vá acontecer (sim, pareço uma velha a falar, ninguém diria que tenho 23 anos).

Só um desabafo

Há pessoas mesmo bonitas. Como é que o resto de nós, comuns mortais, podemos competir com aquilo? :(

*Por outras palavras, como é que ele me pode levar a sério, como é que me pode ver de outra forma, se tem tantas hipóteses melhores por aí?
Ok quem quer falar comigo que fale depressa porque estou cansada de deixar cair coisas ao chão. (Estou a ficar com medo de ir lavar a louça!)
(Para quem não sabe, diz-se que se deixamos cair algo ao chão várias vezes é porque alguém nos quer falar e não pode/consegue)

Uma vez mais, coincidências

Uma palavra nada comum enchia-me a mente, relembrando-me de quem, no passado, a transformou numa história. Estavas deitado ao meu lado quando me contaste o teu sonho mascarado de projecto e eu, atentamente, ouvi, como sempre faço. Não sei o porquê de me ter lembrado meses depois deste episódio, surgiu do nada enquanto os meus dedos batalhavam com a calculadora. Deixei-me prender por segundos à memória, acordei para a realidade quando pousaram um livro na minha secretária, na capa lia-se a palavra à qual deste um novo significado. Repito: é uma palavra nada comum... quais são as chances de isto acontecer?

Querer

Cedes ao impulso de me ter, entregando-te aos instintos animalescos que regem as tuas vontades mais primárias. Prendes-me, física e mentalmente, comungando da minha rendição. Descobres-me o corpo, contornas-me a pele com a urgência que caracteriza o teu descontrolo, com a certeza de quem sabe o que quer, com a mestria de quem conhece o que procura. Unes-te a mim numa dança invulgar de corpos que se entrelaçam para encontrar um encaixe perfeito, como duas peças de um mesmo puzzle criadas para permanecer unidas. Reajo instintivamente aos teus avanços, ouves-me por cima das respirações ofegantes, dos suspiros, do bater raivoso dos corações, e sabes. Dás-te e recebes-me. Por um momento esquecemos tudo e o tudo finalmente faz sentido. Parasse o tempo enquanto permanece em nós a certeza de que nos queremos e o nosso mundo seria perfeito.
Gosto-te

É só.

Estrada

Estendi-te a mão, à espera que a tomasses como tua e me mostrasses a estrada. Quis conduzir-me pelas tuas orientações e acabei num caminho marcado por buracos. Senti as pedras a arranhar-me, criando cicatrizes no meu corpo. Tropecei em paralelos desalinhados e deixei o salto prender-se nos intervalos. Tive dificuldade em caminhar na lama, perdi o fôlego ao atravessar um pequeno deserto de areia. Perdi a conta às quedas e às vezes que me ergui.
Roguei-te pragas por me colocares obstáculos no caminho, por me levares por estradas tumultuosas quando havia alternativas muito mais agradáveis.
Só mais tarde percebi que não tinhas sido tu a mostrar-me o caminho, não eras tu que me guiavas, era eu que o escolhia, tu "só" me agarraste a mão e me acompanhaste, colocando-me à frente pequenas amostras de felicidade que me instigaram a continuar e, mesmo tendo todos os motivos para partir, permaneceste comigo, por isso hoje me dedico a dar-te motivos para ficar.

Idealizar um futuro (ir)real

Um dia a realidade surpreender-nos-à de tal forma que pensaremos tratar-se de um sonho, um simples sonho em meio a tantos outros que sonhamos e ansiamos tornar realidade. Em cima desse construiremos outros sonhos, outros projectos, faremos planos, mesmo receando nada ser real. Viveremos a história que desejamos, sem contratempos, sem obstáculos. Confiaremos em nós e no destino e construiremos o futuro com base nas nossas aspirações. Seremos mais e melhores, seremos perfeitos nas nossas imperfeições, seremos verdadeiros nas nossas promessas e todos os sonhos serão reais, todos os desejos se concretizarão, todas as palavras serão verdade e toda a felicidade tomará conta de nós.

*republicação; original de 18/09/2013 às 21h09