Pedi-te

Num acesso de loucura pedi-te às estrelas, enquanto vagueava por ruas sem gente, aproveitando os restos de calor que a atmosfera não permitiu eliminar.
Gosto de noites quentes, da solidão das ruas, do céu límpido. Gosto de ambientes propícios ao pensamento e este é um deles, as noites quentes de verão, as ruas desertas, a solidão e a liberdade e a magia e as inúmeras possibilidades da vida, a beleza do mundo e da natureza, o silêncio e os sons, as luzes e a escuridão.
Gosto de observar a lua, sinto-a como pura magia, sempre me lembra de ti, porque também tu és magia, no meu mundo, na minha vida. Quero um dia observá-la contigo, da nossa varanda, enquanto te abraço e repito pela milésima vez o quanto te acho perfeito, enquanto me relembro uma vez mais da sorte que tenho por te ter, por seres meu. Quero poder dizer que és meu, quero poder dar-te o meu mundo, quero poder partilhar a minha vida e tudo o que sou contigo, quero poder fazer-te feliz, por isso te pedi às estrelas, por isso te peço todas as noites, todos os dias… só preciso que me digas, que me deixes ver, quem és?

Sem comentários:

Enviar um comentário