Porque somos feitos de passado, ou da falta dele...

Há alturas em que percebo que tenho uma forma de pensar diferente, por isso compreendo que às vezes seja difícil para os outros perceber como pequenas coisas podem ter tanta importância para mim, mas têm e é complicado desvalorizar o que é especial para nós.

Hoje, num pensamento difuso, compreendi o porquê de não me perceberes, a culpa é minha por não te ter contado mais sobre mim, por não te ter dito tudo sobre mim. Escondi-me na desculpa do "não há nada a dizer" e esqueci-me de que a grande explicação para muitos dos meus actos, das minhas reacções é mesmo essa: não haver nada para dizer.

Odeio...

Odeio que decidam por mim, odeio mesmo... se tiver que sofrer que seja por causa de uma decisão minha, não por causa da decisão de alguém que fez o que achava ser melhor para mim. É que nunca acertam... Eu sei o que é melhor para mim, e "melhor" não significa "sem sofrer", sofrer faz parte, eu já aceitei isso e vocês?

(só não confesso que gosto do sofrimento porque ninguém iria compreender, talvez seja demasiado complexo...)

Talvez viva melhor sem ti

Não vejo motivos para que o meu coração queira saltar do peito quando me chega algo teu (uma frase, uma mensagem, um telefonema), ainda assim ele acelera, como se esse acelerar lhe permitisse ir ao teu encontro. Sabes, esqueço-me, às vezes, de que o meu coração é teu, há meses que te pertence, há meses que se manifesta apenas quando o assunto és tu. Talvez eu te pertença demais... Não mereces o tanto que sinto, merecia que tivesses lutado por mim, merecia mais de ti, merecia que não tivesses desistido na primeira dificuldade. Perceber-me-ás quando me perderes... será que me perdes? Perder-nos-emos um do outro, um dia, já criei tantos cenários e em todos eles nos perdemos, sei que será inevitável. Quero-te perto, mas se te afastares não volto a correr para ti, talvez me canse da luta, ou apenas de lutar por ti.

Projectos

São tantos, demasiados, os projectos que estruturei na minha mente e que acabei por não transpor para a realidade...
Como se as ideias não fossem já demais, comecei outro projecto... a parte interessante foi perceber que consigo enquadrar várias das minhas "antigas" ideias nesta "nova". Agora falta a parte fácil (ironia!) que é aprender sozinha e num curto espaço de tempo o que se aprende numa licenciatura de, actualmente, 3 anos. Wish me luck! :)

Perguntas

Há perguntas que não faço, conversas que deixo a meio, dúvidas que guardo em mim.
Às vezes faço meias perguntas, às vezes digo não querer uma resposta, às vezes tento ignorar as perguntas que me invadem a mente... às vezes consigo transformar grandes dúvidas em perguntas banais e é assim que obtenho respostas, é com meias palavras que componho uma frase, em pequenos gestos que vejo sentimentos, é de pequenos pormenores que extraio personalidades, é com um simples olhar que me transmito.
Sei-te antes de tu saberes e continuam a ser tantas as perguntas... neste momento existe uma pergunta (de entre tantas), para a qual sinto já saber a resposta, e um comentário, uma verdade, que magoaria alguém e, por isso, seria provavelmente mal interpretado. Não é nada fácil desempenhar vários papéis na vida de uma só pessoa...

Respeito

Pensava que a resposta "tenho namorado/a" seria o suficiente para dissuadir alguém da ideia de nos querer ter dessa mesma forma, pelos vistos estava enganada e isso faz-me questionar seriamente os princípios da pessoa que toma conhecimento desta situação e continua a insistir como se nada lhe tivesse sido comunicado. Pergunto-me em que momento se perdeu o respeito pelas relações dos outros ou se calhar as relações passaram a ser vistas como algo fútil que não merece respeito. Se calhar sou eu que estou mal, se calhar sou eu que tenho uma visão retrógrada, se calhar o problema é meu.
Gostar genuinamente de alguém é uma sensação maravilhosa, mas confessar-lhe o que sentimos é uma grande responsabilidade. Parte desse gostar é respeitar e se não se respeita as escolhas do outro, a escolha de querer estar com outra pessoa que não nós, estamos apenas a mostrar o nosso egoísmo, e o ser humano é tão bom a ser egoísta...
Não sou ninguém para dar lições de moral, não vou ser hipócrita e dizer que quero ver a pessoa de quem gosto com outra só porque será feliz, não quero, só de imaginar dói, mas aceito, respeito, se não conseguir lidar com a situação de perto afasto-me. Talvez pensem que são apenas palavras saídas de um enorme cliché, mas quando se gosta luta-se para que a outra pessoa seja feliz, mesmo que doa, mesmo que tenhamos de lutar contra nós próprios, já o fiz, fá-lo-ei novamente se tiver que ser, um dia chegará a minha vez de ser feliz.

Luzes, câmara, apagão...

De vez em quando as lâmpadas da minha nova morada decidem piscar, apagar-se e, após um período de descanso, voltar a funcionar como se nada se tivesse passado. Ora, piscar de luzes e uma fã da série "sobrenatural" não combinam bem... Há minutos a lâmpada da sala partiu (não, não se fundiu, partiu mesmo), não faço ideia de como vou retirar a parte da lâmpada que ficou lá...

A sério luzes, parem lá com isso senão vou começar a ficar assustada. (Mencionei que agora moro sozinha?)

Querer

Queria ouvir-te, por entre suspiros ofegantes, gritar o meu nome, saber que o teu descontrolo se deve somente a mim, que o teu corpo apenas responde instintivamente a cada um dos meus gestos, a cada pequeno avanço meu. Queria poder confiar que as tuas provocações só se dirigem a mim, que as tuas palavras não encontram mais destinatários, que o teu toque já só reconhece a minha pele. Queria ser mais para ti, ser o mundo que prometeste, construir o futuro ao teu lado. Queria ter certeza de que ainda sabes sentir, de que sabes gostar, de que ainda te reconheces mesmo envolto nessa capa de protecção. Queria que deixasses cair as muralhas, que quebrasses as barreiras, que me permitisses entrar em ti. Queria tornar-me a peça que te falta, ser a mulher que sonhaste, queria que fosses o homem que eu vi.
"Queremos demais" ou talvez o verdadeiro problema seja não termos lutado pelo tanto que queremos.

Propostas inusitadas

Recebi um convite para um encontro na lua. Rejeitei porque não sabia como lá chegar :p (mentira, rejeitei por mil e uma outras razões, mas gostava de saber de que forma a pessoa que fez o convite me iria proporcionar um jantar na lua caso tivesse aceite, fica a curiosidade...)

Negação

Não quero pensar, não quero analisar, pela primeira vez não quero perceber. Não quero novamente ser inundada por dúvidas, não quero questionar os meus princípios, as minhas convicções.
Não quero contradizer-me, não quero admitir nem negar o que sinto, não quero descobrir o que sinto, já disse, não quero perceber. É mais fácil, mais simples, se não compreender, se fechar os olhos, só desta vez, é mais fácil se me deixar levar, se me deixar guiar, se confiar ainda mais cegamente do que tenho feito.
Serei quem quiseres que seja, só não te percas completamente de mim.