Fazes-me falta

Há pessoas que nos marcam, pessoas que guardamos na memória pelo carinho que nos deram, pela companhia que nos fizeram, pelos conselhos que se esforçaram por nos dar. Há pessoas que nos fazem falta, pessoas que quase adivinham quando precisamos delas. Há pessoas que nos habituam à sua presença, pessoas que acreditamos serem uma constante nas nossas vidas e quando menos esperamos deixam de o ser pelas mais variadas razões.

Tenho saudades das conversas, dos sorrisos, das gargalhadas, saudades do teu espírito compreensivo, da tua amizade, dos teus conselhos, das tuas palavras de esperança, saudades de ti... Fazes-me falta, prometi nunca o sentir e aqui estou eu, a fraquejar... Aprendi tanto contigo... ninguém sabia o quanto éramos próximas, ser-lhes-ia difícil compreender como nasceu tamanha cumplicidade em tão pouco tempo, queria que tivesse sido mais, queria tanto que tivéssemos tido mais tempo. Ficaram tantas histórias por contar, tantas promessas por cumprir (terás a tua dedicatória, não me esqueço ;) ).
Sempre vi uma certa beleza na morte, na tua nada vi, só injustiça e raiva. Partiste cedo demais, deixaste demasiado para trás, uma vida inteira que ficou assim, inacabada... A tua presença tornou-se algo natural, a tua ausência algo impossível de aceitar. Sempre ouvi dizer "só não existe cura para a morte", neste momento a tua morte é a única coisa que desejava curar.

Desculpa por tudo o que não fiz, por tudo o que não disse, desculpa se em algum momento te desiludi, se alguma vez não fui a amiga que precisavas. Obrigada por acreditares em mim, obrigada por tudo, sabes que nunca me vou esquecer de ti.
Passaram 7 anos e continuas a fazer-me tanta falta...

Sem comentários:

Enviar um comentário