Pensamento

Sempre que usas as minhas palavras, as minhas frases, as minhas expressões sei que, ainda que inconscientemente, pensas em mim...
Custa admitir que me apeguei a alguém tão depressa, ainda que não o saibas, ajudaste-me a ultrapassar tantos obstáculos pelo simples facto de existires na minha vida... Custa-me eliminar-te da minha rotina, não te ter para contar o meu dia, custa-me deixar de lado as conversas banais que preencheram dias e noites a fio, custa-me deixar de ser a constante na tua vida. Ainda te sinto tão presente que custa tanto deixar-te ir...

*republicação; original de 13/01/2014 às 21h28

4 comentários:

  1. Porque é que não lhe dizes isso tudo de uma só vez?

    ResponderEliminar
  2. E porque precisas deixar ir querida? Porque não guardas?

    ResponderEliminar
  3. É tão estranho chegar a um blog e sentir que podia ter escrito o primeiro post que leio... geez! Devias ter-me falado há mais tempo pá, ia gostar de te ter encontrado antes! (e sim, assumo... raramente ia ver a lista de seguidores porque sou horrível nisso xD)

    Bem, já deve ter dado para perceber quem eu sou :) em primeiro lugar... muito obrigada! Muito obrigada mesmo. Eu adoro escrever e gosto mesmo de sentir que há alguém do outro lado que dá valor ao que eu escrevo. Não sei se conseguiria escrever um livro que vendesse sem me transformar numa margarida rebelo pinto. Acho que, por agora, me fico no blog :)

    Quanto a isso da privacidade... bem, claro que pensei nisso, mas fazer o quê? Digo-te que é altamente frustrante ter tido um blog com aquele número de seguidores, aquela média de visitas diárias e, de repente, dar por mim a festejar porque hoje passei das 100 aqui e nunca tinha tido mais de 50. E sim, estou a ser super óbvia - desde o nome, à imagem de perfil. Não sei porquê, mas nem tenho vontade nenhuma de sair daquele blog, muito menos agora que tive a certeza de que tinha um... uhmmm... leitor extra xD

    Não sei. Tenho-me tentado convencer de que me vou conseguir manter aqui, mas duvido que não acabe por cagar nisto tudo e volte para aquele onde sinto que realmente pertenço. A ver vamos. Por agora... estou aqui :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar