Dias

Vejo-me a caminhar por ruas desertas, sozinha, em busca do que perdi.
Não tenho dificuldade em ir, em caminhar, não encontro obstáculos. Sigo sem rumo, sem direcção, escrevo o meu próprio destino à medida que avanço. Talvez na realidade não avance, talvez dê voltas e voltas e acabe por regressar ao ponto de partida.
Em todas as estradas, em todos os becos, em todas as casas procuro e nada encontro. Sinto a minha vida, o meu futuro estacionados. Crio novos objectivos, novas ambições mas nada muda, não tenho nada que me motive, nada que me mova. Vejo as horas passar, uns dias vagarosas, noutros com uma aceleração aflitiva, mas nada se altera, tenho as mesmas dúvidas, as mesmas angústias, as mesmas frustrações. Em todos os lugares procuro mas, o que procuro?


*republicação; original de 14/01/2014 às 20:06

4 comentários:

  1. Talvez o que procuras esteja mais perto do que pensas. Talvez tenhas de procurar melhor. Ou talvez tenhas só de fazer esse mesmo percurso de mão dada a alguém.

    ResponderEliminar
  2. Porque é que a vida é tão complicada? Espero que resolvas isso da melhor maneira possível. Um abraço. beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu costumo dizer: "se a vida fosse fácil, não tinha piada nenhuma" :)

      Eliminar