Avanço, recuo

Escorregas-me por entre os dedos. Sinto-te a vir e a fugir, como numa dança infinita que apenas confunde os meus pensamentos, o meu sentir. Permaneço imóvel, esperando o teu sinal, mas até nos sinais te contradizes. Afastas-te e voltas a aproximar-te como se não o tivesses feito e eu dou-te espaço e volto a acolher-te como se nunca tivesses partido.
Como me queres? Onde me queres? Ainda me queres?

*republicação; original de 8/01/2014 às 20h44

4 comentários:

  1. Que perguntas tão pertinentes. Espero que consigas obter a tua resposta!!

    ResponderEliminar
  2. Agora fiquei baralhado...
    Essas perguntas são para mim?
    Bem então eu respondo-te. Quero-te feliz e a sorrir, aqui neste blog como se estivesses deitada num imenso relvado a olhar o azul do céu e beijada por delicados raios de sol ...

    Se ainda te quero?...
    Ainda queres que eu te queira?...

    ;)

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito do que escreveste.
    Desculpa a invasão, mas gostei muito do teu blog. Sigo*

    http://naervilhadapolly.blogspot.pt/

    ResponderEliminar