Imóvel

Quero gritar mas reprimo as palavras, contenho os gestos. Vejo-te partir e subsisto calada, imóvel, ausente.
Ainda te sinto em mim, sinto o teu toque, o teu perfume. Ainda me completas, ainda me faltas.
Saberás que te quero? A cada hora, minuto, segundo. Saberás que estou aqui? Que te espero sem esperar nada de ti? Saberás da minha dificuldade em te deixar, em te expulsar de mim? Saberás que permaneço imóvel, como me deixaste, esperando o teu regresso?

*republicação; original de 09/01/2014 às 22h15

2 comentários:

  1. Tão verdade o que disseste. E eu tenho uma queda enorme para sentir saudades por quem não merece!

    ResponderEliminar
  2. Olha concordo com a mariana, sou igual,e eles não sabem, não fazem minha ideia ou se fazem ignoram :(

    ResponderEliminar