“Certos encontros estão predestinados a acontecer mais cedo ou mais tarde. Seja com o bem, com o mal, a saúde, a enfermidade, um furo num pneu, o taxista que não conhece os limites de velocidade e nos cola ao banco de trás a rezar para que aquela não seja a ultima viagem da nossa vida, a mulher dos nossos sonhos, e dos sonhos dos outros, a nossa mulher, o nosso homem, ainda que o pronome possessivo nunca fique bem quando classifique como posse algo que não nos pertence na realidade. A pura ilusão de ser dono de um ser humano. Se nem de nós próprios o somos. E para quem pense o contrário, uma lembrança, o nosso corpo desliga no dia que assim entender e não há nada que possamos fazer para evitá-lo."

Luís Miguel Rocha in "O Último Papa"

*republicação

Sem comentários:

Enviar um comentário